sexta-feira, 16 de março de 2012

Liberdade - Aska (あすか)

Demorou, mas um dia o post do Aska ia chegar. Quem me conhece sabe da minha louca paixão por Lamen(ラーメン) e um dos primeiros restaurantes especializados que conheci foi esse. 

Um dos mais famosos de São Paulo e parada obrigatória para quem passa pelo bairro da Liberdade. Um dos melhores preços da região, tem os tradicionais tipos de Lamen. Todos com o caldo a base de porco, sendo que na versão Tonkotsu o sabor é mais evidente. Tem o com Shoyu (molho de soja), Misso (pasta de soja), Shio (sal), Negui (cebolinha), Moyashi (broto de feijão), Tyashu (com mais fatias de carne de porco), Tsukemen (o macarrão vem separado do caldo) e o Hiyashi Chuka (macarrão frio). Este último é uma ótima opção para os dias quentes e é servido apenas no verão, vem acompanhado de tiras de pepino, ovo, presunto e gengibre em conserva. 

Meu clássico pedido é quase sempre o Tonkotsu Shio Lamen  que acompanha Nori (alga desidratada), Ovo, Negui (cebolinha), Menma (broto de bambu) e Tyashu (carne de porco).

Tonkotsu Shio Lamen - R$12,00

Missô Tonkotsu Mini (-R$1,00 do preço normal), que ao lado do meu lamen de gente normal fica bem bonitinho. Para os que acharem que apenas 1 lamen não saciará a fome, pode-se pedir o tamanho Big com acréscimo de R$1,00 no preço normal ou o Kaedama, reposição de macarrão e Toppings adicionais.

Missô Tonkotsu - Mini R$13,00


Gyoza é um clássico acompanhamento de Lamen no Japão é também opção na casa e ganha destaque, pela massa fina e recheio suculento. Tem o Gyoza-ASKA, recheado com carne e cebola e o Gyoza-YASAI, com legumes e carne. 6 unidades fica R$9,00.

Gyoza-ASKA - R$9,00


A casa é pequena e está sempre lotada. É bom chegar cedo e não se pode reservar lugares. Geralmente quem passa por lá, encontra uma fila grande do lado de fora, até mesmo porque é quase impossível esperar lá dentro. O esquema é chegar, dar o nome ao garçom e aguardar chamarem quando vagar alguma mesa.  Estejam dispostos a esperar até 1h ou quase 2h em dias cheios. Até 2 pessoas, pedem para que sente-se no balcão, onde pode-se ver a movimentação da cozinha. Ou quando o movimento é grande, o jeito é dividir a mesa com algum outro cliente. O atendimento não é lá essas coisas, meio desorganizado e os garçons não são os mais cordiais, mas, após o pedido feito, o prato não demora muito para chegar. Não gostam quando fica-se conversando demais depois das refeições e pedem para não "enrolarem" para vagarem a mesa, então não recomendo para quem quer repor as fofocas em dia. Rs.

Não aceitam nenhum tipo de cartão. Pagamento somente em dinheiro ou cheque. Não tem estacionamento conveniado, mas, nas ruas que se cruzam e até mesmo na Galvão Bueno é possível encontrar vários estacionamentos. O preço dos lamens variam entre R$12 e R$14.

Maiores informações:

Aska
R. Galvão Bueno, 466
Liberdade - São Paulo
(11) 3277-9682
Ter à dom: 11h às 14h e 18h às 22h
Segunda o estabelecimento é fechado.

4 comentários:

  1. Ola meu nome é André, tenho 38 anos, como comida japonesa a 32 anos, as nunca fui tão mal atendido como hoje no ASKA da R. Galvão Bueno, 466 na Liberdade São Paulo.
    Já fui no ASKA umas 8 vezes, a comida é fantástica, só que o lugar é lotado de regras, até 2 pessoas você tem que sentar no balcão, fui uma vez com minha noiva e inventei de sentar em uma mesa, literalmente fui convidado a sentar de frente para ela, eu coloque a bolsa dela na cadeira do lado, tem um JAPONÊS de seus 40 anos de cabelo preto e começando a aparecer os fios brancos(o Sr. É muito radical e estressado), ele simplesmente pegos a bolsa e colocou na cadeira da cabeceira da mesa, mas de um jeito tão deselegante que quase fui embora.
    Mas hoje foi o Ó, estou lá comendo meu guioza, meu lámen, adoro pimenta, lá tem um molhinho fantástico, quando descubro mais uma regra, que o molhinho de pimenta é só para o guioza, a dona já estava bufando quase me expulsando, o japonês nem olhava para mim, na hora de pagar a conta, (o lugar só aceita dinheiro) dei as notas e fui pegar a moeda, estendi a mão para entregar e moeda a dona que fica no caixa, e com uma cara de nem aqui nem ali, ela simplesmente apontou em direção a bandeja da conta e me convidou a colocar a moeda lá, porque devo ter alguma doença que desconheço que ela não pode pegar a moeda de minha mão.
    Meu dinheiro é bem vindo mas EU NÃO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse lance do dinheiro é tradição japonesa, colocar numa bandeja e não passar de mão para mão. Isso é feito no Japão em todos os lugares

      Excluir
  2. André,
    Concordo com o que escreveu. O Aska tem um atendimento péssimo. Compreendo que o local é pequeno e assim como no Japão, as pessoas vão em Ramen-ya para comer e só, não para ficar conversando como fazemos normalmente nos restaurantes aqui no Brasil. Talvez pela falta de espaço também e como é comum no Japão, as pessoas não colocam as bolsas nas cadeiras (algo comum aqui no Brasil também).

    Por outro lado, eles deveriam entender a cultura daqui e serem gentis em explicar, assim como o caso do molho para o Gyoza. Adicionalmente, só queria explicar também que no Japão, o dinheiro não é passado de mão em mão, e sim colocado na bandejinha na frente do caixa, então não ache que foi por motivo de doença ou algo do tipo.

    Em termos de atendimento e também de qualidade do Ramen, eu prefiro muito mais o KAZU, na rua Tomás Gonzaga. Tente lá!

    ResponderExcluir
  3. Gente, será que eu vivo em outra dimensão? Sempre fui super bem atendida no Aska, sem exceção. Desde o carinha que abre e fecha a porta até os garçons e a senhora do caixa... que nunca reclamou por eu ter 'esquecido' de depositar o dinheiro na bandejinha, aliás! E nem olho puxado eu tenho, rs.

    ResponderExcluir